Advocacia Especializado em Imigração

Advocacia Especializado em Imigração

Advocacia Especializado em Imigração

Advocacia Especializado em Imigração

Advocacia Especializado em Imigração

Renata Castro

Renata Castro

Renata Castro

Renata Castro

Renata Castro

castro legal group USCIS

advogado de imigração

advogado de imigração

advogado de imigração

advogado de imigração

advogacia de imigração

advogacia de imigração

advogacia de imigração

advogacia de imigração

como tirar green card

como tirar green card

como tirar green card

como tirar green card

Projeto que torna crime facilitar entrada clandestina de imigrantes no exterior aguarda aprovação no Brasil

CRE_-_Comissão_de_Relações_Exteriores_e_Defesa_Nacional_(49496984001)_site crop

A Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal do Brasil aprovou, na quarta-feira (29), um projeto que introduz novos mecanismos para combater o tráfico humano. Entre eles, a criminilização do ato de facilitar a entrada clandestina de imigrantes no exterior.

A proposta estabelece que a pena seja equiparada àquela prevista no Código Penal para casos de tráfico de pessoas com a finalidade de remoção de órgãos, trabalho escravo, adoção ilegal ou exploração sexual, com reclusão de quatro a oito anos.

Enquanto a lei 13.445/17 já tratava da facilitação da entrada ilegal de estrangeiros no território nacional e de brasileiros em países estrangeiros, o novo projeto amplia a proibição para incluir a facilitação da entrada clandestina de pessoas de qualquer nacionalidade em outros países.

O texto foi apresentado pelo senador Mecias de Jesus (Republicanos-RR) e recebeu parecer favorável em forma de texto substitutivo da senadora Damares Alves (Republicanos-DF), com determinações para que o governo promova campanhas nacionais de combate ao tráfico de pessoas. 

Na justificação, de Jesus apontou o aumento significativo no número de brasileiros detidos nos Estados Unidos por tentar imigrar ilegalmente no país.

A senadora Damares negou partes do projeto que exigiam a criação de um canal específico para denúncias de casos suspeitos. Ela defendeu a utilização de canais de disque-denúncia já existentes como uma medida mais “razoável e econômica”.

Também foram rejeitados a inclusão de outros crimes propostos no texto original, como “forjar casamentos ou uniões estáveis” ou “alugar crianças” para facilitar a entrada clandestina de imigrantes em países estrangeiros. Segundo a senadora, a criação desses tipos penais é considerada desnecessária.

O texto agora seguirá para análise da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) e, se aprovado, será votado pelo Plenário antes de seguir para a revisão na Câmara dos Deputados.

Representamos causas imigratórias em todos os Estados Unidos e oferecemos triagem inicial gratuita do seu caso.

–  Whatsapp: +1-954-204-0393

–  Youtube: USA4ALL by Renata Castro

–  Instagram: @usa4all.law

Fonte: Agência Senado.